Mostrando postagens com marcador Filosofia. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Filosofia. Mostrar todas as postagens

domingo, 28 de fevereiro de 2016

SERIA ABSURDO SE NÃO FOSSE NO BRASIL...


CLIQUE E LEIA A MATÉRIA

http://www.dn.pt/sociedade/interior/literatura-portuguesa-deixa-de-ser-obrigatoria-no-brasil-5039149.html

SERIA ABSURDO SE NÃO FOSSE NO BRASIL...


Pode vir travestido de quaisquer porquês, imbuídos de tantos sentidos, todos bons ou ruins. Pode não faltar ideias e muito menos ciências nesses propósitos... Mas ele é tão absurdo, tão sem "noção" que a gente aqui, pobres e reles mortais sem a vênia do conhecimento desses ilustres, ficamos a "pensaire": Oh! portuga, a piada da vez somos nós!!!

Esses "ilustres" agem como se dizia:

- Deixa, deixa por apenas a cabecinha... não vou meter toda e vou gozar fora!

Com esses argumentos vão encaixando as suas "inovadoras" descobertas de cunho científico. Umas a gente berra e eles recuam. Outras de tanto insistirem deixamos passar sem a crítica correspondente.

Para esse e outros absurdos o correto mesmo é ser ANACRÔNICO.

Ao final da matéria há uma alusão ao Policarpo Quaresma: saporra deveríamos aprender e falar o guarani... Com tantos idiotas atuais ressuscitamos até os mortos ficcionais...


OZEAS CB RAMOS
www.rascunho1966.blogspot.com.br

domingo, 27 de dezembro de 2015

FILME - A VIDA DE BRIAN - Uma sátira...


A VIDA DE BRIAN - Uma sátira...

(vou logo avisando)



"O que que você tem a perder?
Olha, você veio do nada... vai voltar pro nada
O que que você vai perder?
Nada!
Nada virá do nada, já diziam".
https://letras.mus.br/monty-python/1213703/


VÍDEO:


 FILME NO YOUTUBE



"A Vida de Brian, no original inglês Life of Brian, é um filme dos Monty Python realizado em 1979 por Terry Jones, membro do grupo. O seu argumento baseia-se numa sátira à época de Jesus Cristo e é considerado blasfemo, por uns, e genial, por outros.
O filme é controverso devido a sua combinação de comédia e de temas religiosos".
https://pt.wikipedia.org/wiki/A_Vida_de_Brian



OZEAS CB RAMOS
www.rascunho1966.blogspot.com.br

quarta-feira, 9 de dezembro de 2015

FILOSOFIA DE ALMANAQUE


FILOSOFIA DE ALMANAQUE



Se a pessoa com quem você compartilha seu mundo, traz e deixa próximo a você uma xícara com café enquanto você lê um livro integralmente concentrado, e sai sem dizer uma palavra...
Véi! Essa pessoa te ama MUITO!


Porém, se retornar trazendo uma barra de chocolate, repetir o gesto deixando a seu lado sem nada reclamar, pedir, etc...

Pare essa p#rr@ de leitura! As intenções podem não ser as piores...



domingo, 6 de dezembro de 2015

INÚTIL VIVER ASSIM

INÚTIL VIVER ASSIM


loucura absurda intemporal
em tempo de muitos loucos
muitos se matam para terem tudo
alguns morrem de fome e nada
nada muda... só endereços.

em fila colocam o dedo na ferida
do buraco do outro próximo
nu outro buraco
que é o próximo depois de si
do ser que imbele em si.

inútil viver assim
sem ver, sem sentir
descerebrado sem raiz
cujo pão não vem do chão
querendo ruminar um fim.

OZEAS CB RAMOS
www.facebook.com/rascunho1966

quinta-feira, 5 de novembro de 2015

SENSACIONALISMO BARATO?


Essa é antiga. E demonstra como a visão externa de um fato, pode em sua narrativa alterá-lo até em sua essência. É, mais ou menos, como alguns jornalistas, alguns até destacados em sua profissão, narram as suas verdades. Por si só, descrever aquilo que se vê não garante a exatidão. Não carrega a verdade nessa narrativa. Quando muito, parte dela.

A estória aconteceu mais ou menos assim:

Uma senhora foi ao açougue comprar algo para preparar para o almoço. Chegando viu que o fígado estava com ótima aparência e pediu ao açougueiro que cortasse um quilo. E ele assim o fez.

Pesado, embrulhado [é companheiro (a) antigamente era em uma folha de jornal] entregou o pedido.

Atarefado com o atendimento dos demais clientes, esqueceu-se de cobrar. A senhora envolvida por suas demais tarefas a cumprir saiu sem pagar a compra. Mera distração sem nenhuma maldade envolvida.

Quando finalmente o açougueiro percebeu (lembrou) que não havia cobrado e, não havendo outros clientes para atender, saiu às pressas atrás da senhora. Saiu como estava - com o jaleco sujo e com a sua faca na mão.

Encontrado-a pediu-lhe gentilmente a quantia esquecida. Ela confusa, afirmava que havia pagado e que jamais sairia sem pagar. Nessa confusão despretensiosa criada pelo acaso, ele perde a cabeça, toma de volta o embrulho com o fígado e retorna para o açougue.

Como uma estória, ela carece de maiores detalhes e de uma máxima em si.

Porém esse evento, posteriormente narrado por uma testemunha ocular dos fatos, saiu assim:

Açougueiro furioso armado com uma faca corre atrás de uma senhora e arranca-lhe o fígado!

É desse modo que as coisas são passadas a diante. E nossa imprensa está cada vez mais especialista em dar notícias assim.

É preciso ler as manchetes, ler o conteúdo, se possível ver a mesma notícia em outro (s) jornais e revistas. Depurar tudo. O sensacionalismo está em alta em nosso país. Como se não bastasse a possibilidade do engano natural ainda há os que noticiam movidos por interesses pessoais, partidários, etc.



OZEAS CB RAMOS
www.rascunho1966.blogspot.com.br
www.facebook.com/rascunho1966

APRENDEREI


Eu aprenderei ainda um instante antes do tocar da sirene anunciando que não haverá mais aulas.
Quando todos começarem a correr numa alegria dissonante e não apreciem senão a beleza de correr sem olhar atrás.
Com sorte terei tempo de fechar a grande porta.

OZEAS CB RAMOS

domingo, 25 de outubro de 2015

ESTADO LAICO - RELIGIÃO DE FORA

Em julho/2015
ESTADO LAICO - RELIGIÃO DE FORA

No passado tínhamos matérias como:

Estudos Sociais
Educação Moral e Cívica - EMC
Organização Social e Política Brasileira - OSPB.


Se esses conteúdos já traziam implicações quanto a sua aplicabilidade em virtude de "ferir" as particularidades dos alunos no que tange as várias formações político-sociais das suas famílias de origem imaginem quanto ao campo das práxis religiosa?

Para que educação religiosa na escola ainda que seja limitada ao estudo da história das religiões? Isso é sem proveito algum. Desnecessário e sem utilidade.

Enquanto não tivermos um diálogo (coisa impossível pelo que vivenciamos até hoje) entre as muitas correntes religiosas, de onde emanam uma noção de proselitismo (idiota), é descabido e impeditivo que haja educação religiosa patrocinada pelo Estado.

Avancemos com a recuperação no sentido de termos um Estado verdadeiramente laico (por estado laico entende-se que esse não é ateu nem patrocina uma religião dita oficial).

Religião é assunto familiar-pessoal e não pode ser patrocinada com os recursos da nação.

É hora de maior atenção a estratégia dos vários grupos religiosos de avançarem suas trincheiras no campo político. Ação tão nefasta quanto foi a ação dos grupos do campo agropecuário e das armas...


OZEAS CB RAMOS

terça-feira, 20 de outubro de 2015

INSUSTENTÁVEL


POLÍTICA (de novo...)
‪#‎primaverabrasileira‬ ‪#‎nasruas‬ ‪#‎impeachment‬ ‪#‎política‬


Seriam 30 bilhões o déficit para 2016. Dois mil e dezesseis. Próximo ano... Aí, por conta de toda pressão midiática e da oposição (placebo) sobre as contas (rejeitadas) e as tão famosas pedaladas fiscais, o glorioso DESgoverno "resolve" que vai anunciar o rombo nas contas de 2015. Deixemos os 30bi de lado por um tempo pois teremos 50 bilhões de incompetência administrativa ainda em 2015.

Mentira - todos mentem;
Corrupção - todos corromperam/foram corrompidos;
Incompetência - todos foram incompetentes;
A merd@ está ruim por que todos fizeram merd@ no passado!!!
e por aí vai...

Esse discursinho de merd@as justificando a porr@ em que meteram o país é phod@.

Não temos que suportar a continuidade disso tudo. Essa pizza indigesta de: mentira+corrupção+incompetência=situação insustentável.

Na borda dessa pizza está recheio de: insegurança que só piora; falta de verba para educação que só diminui; desemprego que só agrava; saúde já era uma lástima, tende a ficar caótica; a conta da bagaça para a população bancar com impostos e inflação...

Para mim, pouco importa a porr@ da sigla que está à frente disso tudo. PT, PMDB, PSDB, PqP, Partido do C@r@lhW... Incompetência não é traduzida pela sigla e sim por uma ineficiência administrativa, sem gestão a não ser dos próprios interesses.

JÁ DEU! CHEGA!! BASTA!!!
Pelo Brasil é hora de mudar!
Essa turma aí no poder já deu o que tinha que dar.
Chegou a hora de repor o país nos trilhos.
Basta de tanta corrupção e incompetência!


OZEAS CB RAMOS

sexta-feira, 5 de junho de 2015

ASSOCIAÇÃO DE ATEUS E AGNÓSTICOS


Outro dia tomei conhecimento de uma associação que reúne e representa ateus e agnósticos. No primeiro momento eu tentei entender porque uma associação dessa natureza e a qual fim ela destinava para justificar a sua existência. Foi depois de muito buscar essa valia que encontrei uma que parecia verossímil: dar visibilidade, unir e representar seus afiliados em especial contra um preconceito nada velado contra aqueles que tecem afirmações contraria a fé comum.

Em seguida visitei o site da instituição e a página aqui no Face. Confesso uma dose de ingenuidade, pois abria a página na esperança de encontrar um espaço de troca de conhecimento, experiência, e de liberdade do pensamento.

A primeira impressão logo ao abrir a página, se quiser ser simplório, foi de espanto. A sensação à medida que lia as postagens era de náusea daqueles dias mais sombrios em crise aguda de virose.

Não me lembro de ver/ler tanta porcaria reunida em uma única página. Imagens e vídeos preconceituosos, desrespeitosos, infames, estúpidos, e mais um sem número de adjetivos dessa ordem.

Ainda mais negativos os comentários, salvo alguns lúcidos humanos, que ainda se dão ao trabalho de pontuar a maneira deseducada como são colocadas muitas opiniões. Um amigo após acessar a mesma página confidenciou: "sem comentários".

A liberdade enquanto princípio fundamental é ali usado para achincalhar a fé alheia e aí quando se perde o valor das argumentações. O uso de um espaço público, ou privado que fosse, para demonstração de um pensar radical descabido e que não é desencorajado por aqueles que administram tal página. Exibem um fundamentalismo comparado aos grupos religiosos mais radicais.

Quando eu faço aquilo que critico deixo passar uma oportunidade de mostrar meu pensamento e me faço pior do que aqueles sobre quem mantenho divergência filosófica. A disputa, a discussão, é do campo das ideias. Deixando a cada um o direito de seguir ou mudar sua maneira de pensar e agir.

Se esse não é o pensamento de seus líderes a página, no Face, em si não deixa dúvida: a estupidez e a irracionalidade está igualmente exposta com radicalismo exacerbado e desmedido. Aquele que professa uma fé, qualquer que seja ela, e quão desprovida de lógica e razão seja, merece a mesma liberdade que reclamos por não exercer fé, duvidar dos dogmas e postulados religiosos.

Liberdade e respeito é a chave!!!


OZEAS CB RAMOS

quarta-feira, 27 de maio de 2015

PORQUE SOMOS TODOS VIOLENTOS E VIOLÊNCIA


“Para que serve a piedade, senão para apagar a face do delito?” Hamlet
PORQUE SOMOS TODOS VIOLENTOS E VIOLÊNCIA

Simões Filho está uma cidade sem freios, nas mãos da bandidagem e por conseguinte insegura para se viver. Até aí você dirá: Grande novidade e como se fosse exclusividade da cidade onde você vive. Acontece que segundo uma pesquisa nós estamos no topo nacional quando o assunto é mortes por armas de fogo e quanto ao número de jovens assassinados. Number one!

Convencionou-se afirmar que Simões Filho era local de desova. As mortes em sua maioria aconteciam em Salvador e demais cidades vizinhas e o descarte dos corpos aconteciam aqui. Penso que essa seja uma meia-verdade que ficou no passado não refletindo os números e os fatos da atualidade.

Números são números e podemos contestá-los com argumentação retórica, porém o que tenho visto acompanhando sites locais é que essa realidade mudou. E somos sim uma cidade violenta.

Os casos só aumentam e com a mídia e as redes sociais esse conhecimento fica quase em tempo real. Isso aumenta a sensação de insegurança. As pessoas já estão saindo com o dinheiro trocado e um celular mais velho para o caso de serem abordados na rua ou nos coletivos.

Olhamos para a violência como se ela estivesse à parte de nós. Os outros são violentos, “eu não”! Por que somos todos violentos e violência?

1. Enquanto ela não nos atinge de modo pessoal ou em alguém próximo de nós, a nossa reação aos casos dos demais é de pura piedade. Nos comentários aos anúncios de um novo caso de violência é comum uma reação: “Oh! Meu deus, onde isso vai parar?” ou: “Coitado(a), tão jovem!”. É quando o problema é apenas do outro e ficamos por aí.

2. Quando acontece conosco ou aos nossos próximos a resposta é uma “justa indignação” e as palavras repetidas: “queremos justiça”! Para os outros PIEDADE, para nós JUSTIÇA.

3. É comum uma indiferença enquanto não somos atingidos pela violência. O foco é viver a minha vida, afinal sou senhor de minha vida. E cada um que faça o mesmo. Essa minha apatia social ajuda a manter as coisas como estão. As autoridades não são abaladas a deixarem seus assentos e gabinetes e se porem na rua para resolver o problema. E assim contribuímos indiretamente para que a violência se perpetue, em especial até que ela me encontre.

4. Não há mais nem espanto com os casos de assaltos e mortes posto que atinge em sua maioria relacionadas com jovens com um perfil bastante definido: preto, pobre e periférico. Nós chancelamos essas mortes com um argumento ridículo – “são drogados ou traficantes”. Como se todo jovem negro, pobre, da periferia, fosse usuário de drogas ou com ela estivesse envolvido. Os jovens estão morrendo e nem isso nos afeta mais. Chamamos a todos indistintamente de sacizeiros. Excluídos obviamente os nossos filhos. Não damos olhar para essa situação e assim contribuímos para ações inexistentes ou ineficazes das autoridades. E a violência só aumenta por conta dessa passividade.

Em resumo, o que quero dizer, é que nossa indiferença em relação a essa violência toda é uma das causas dela só aumentar.

Quando muito temos transferido para uma divindade a nossa responsabilidade e é assim que a maioria de nós tem agido.

É hora de repensar essa nossa atitude, antes que a violência nos encontre a nós e/ou aos nossos próximos.

E isso tem que acontecer já!


OZEAS CB RAMOS

sexta-feira, 22 de maio de 2015

FILTROS DA MORAL - somos todos monstros!


Somos seres estranhos quando a MORAL entra no jogo da vida. É esse comportamento uma de nossas diferenças com os outros animais. Tanto que ao agir um numa afronta ao moralismo de um grupo, não raro, é atribuído a esse a alcunha de "ANIMAL" quando não de "MONSTRO", como sendo aquele desprovido do senso moral comum do grupo a que faz parte.

Todos temos nossos filtros, eles combinados, reunidos, identificados, criam a moral do grupo, estabelecendo o que é permitido e o que não o é.

Moral e ética, ética e moral. Um leva ao outro. Some-se os conceitos religiosos, políticos, etc. Construímos nosso agir-aceitar-recusar a partir desses entendimentos. Mas não aceitamos enquanto indivíduo o cabedal de preceitos morais como um todo. Fazemos nossas escolhas e nos tornamos uma unidade de conceitos moralistas. Criamos e exercemos TOLERÂNCIA ou INTOLERÂNCIA a partir dessa autoconsciência.

E o que é tolerância? Quando sou tolerante? 
A TOLERÂNCIA segundo o Prof. Dr. Clóvis Filho é “a virtude que nos leva a aceitar pensamento, discurso e comportamento do outro que não aprovamos”. Sendo a INTOLERÂNCIA a ausência, no todo ou em parte, dessa virtude. Elas são exercidas nas relações com “um outro”. Não sendo atribuídas e relacionadas com “não tolero essa cadeira” ou ainda “não tolero esses dias de muita chuva”. A tolerância ou a falta dela exige outro ser humano, de manifestações contrárias à nossa para vir a ser. O professor ainda pontua que tolerância se exercita quando não concordamos com as manifestações do outro. E só assim, e ainda assim, convivemos.

Um exemplo de pouca importância mais que traz luz a problematização proposta.
Você posta um vídeo de um acidente com vítima, com sangue e pedaços de gente para todo lado (grifos meus) e compartilha em meu feed aqui no FACE. Eu posso ser tolerante X intolerante. Posso excluir, ocultar, ver, gostar, etc. E nada disso revelará qual a minha idiossincrasia. Mas como eu não gosto de ver essas cenas, faço um comentário pedindo que você não compartilhe esse conteúdo. Há quem queira ver, eu nunca! Aceito seu direito de publicar em seu espaço (Tolerância), mas exerço o meu direito de não vê-lo em meu espaço (intolerância). Uma intolerância leve, educada, social. Pois se você insistir com publicações dessa natureza eu poderei ir de uma série de palavrões, exclusão do contato, e até um safanão! Intolerância total. Quanto a você, pode tolerar ou não o meu comentário...

Tolerância é exercício com o outro.
Percebe-se que há um limite individual. Cada ser reagirá de acordo com a sua conveniência, trato social, etc. ir de uma para outra pode ser questão de um fio de cabelo.

Problemas diferentes com reações de tolerância e intolerância diferentes que tornam esse exercício particular. Comoções diferentes nas redes sociais e na mídia:

Um cidadão menor, faltando um dia para completar 18 anos, mata outro jovem numa tentativa de roubo. O foco vai para o menor, tratado quase como coitadinho e até infantilizado. Defensores da tese de não aumento da maioridade penal infantilizam o cidadão e quase perdem a atenção da vítima e de sua família. Mudamos o centro da discussão e o assassino torna-se a parte “mais importante”.

Outro caso recente, condenação de uma senhora após agredir um cachorro. Nesse o foco é o animal. Indefeso, coitado, desprovido de condições de defender-se. E haja mídia e falação sobre esse cachorrinho.

Toleramos um assassino e não toleramos uma agressora a um animal.

Entendo, entendo, entendo. São dimensões e problemas diferentes. Calma! Porém, e evidente, que avaliamos as situações com desmedida, que no mínimo, com desmedida atenção.

É assim que essa nossa moral nos aproxima daquele (no início do texto) a quem nominamos de animal e monstro. Nossa moral nos coloca como animais em muitas situações quando exercemos essa virtude ou a ausência dela.

Quando sou tolerante? Até que ponto? Pratico e desenvolvo essa virtude em meu viver de modo consciente?

Se você leu até aqui meu obrigado pela atenção. Fica a deixa para seus comentários...

OZEAS CB RAMOS
www.facebook.com/rascunho1966

sábado, 9 de maio de 2015

DOWNLOAD FOUCAULT


Os livros de Michel Foucault para download.

http://geffoucault.blogspot.com.br/p/livros-para-download.html

Já baixei a História da Loucura na idade média.

sexta-feira, 8 de maio de 2015

Os Quatro Cavaleiros do Ateismo



Os quatro...
Vejam em especial a partir de 58min.

Como agnóstico declarado eu não entendo esse proselitismo desses senhores a não ser pelo dinheiro que recebem vendendo livros e fazendo palestras. Para mim a fé não diz nada de mais "palpável" ou crível, mas é igualmente verdade que a ciência pouco prova. Há limites ainda impostos e talvez muitos desses jamais sejam devidamente esclarecidos.
Embora prefira o conhecimento à fé, entendo que esse também traga suas limitações...

OZEAS CB RAMOS
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...