quarta-feira, 23 de outubro de 2013

ESPELHO, ESPELHO MEU


Não existe imagem mais cruel
Do que aquela que revela
Quando refletida no espelho
A verdade de quem você é.
Não é o que pensam de você.
Não é quem você mostra de si.
É quem você é.
E você descobre que,
quem você vê,
Não é mais você!


OZEAS RAMOS
Comente - Compartilhe




segunda-feira, 21 de outubro de 2013

ALMAS PERFUMADAS - CDA




Tem gente que tem cheiro
de passarinho quando canta,
de sol quando acorda,
de flor quando ri.

Ao lado delas,
a gente se sente no balanço de uma rede
que dança gostoso numa tarde grande,
sem relógio e sem agenda.

Ao lado delas,
a gente se sente comendo pipoca na praça,
lambuzando o queixo de sorvete,
melando os dedos com algodão doce
da cor mais doce que tem pra escolher.
O tempo é outro.
E a vida fica com a cara que ela tem de verdade,
mas que a gente desaprende de ver.

Tem gente que tem cheiro
de colo de Deus,
de banho de mar
quando a água é quente e o céu é azul.

Ao lado delas,
a gente sabe que os anjos existem e que alguns são invisíveis.

Ao lado delas,
a gente se sente chegando em casa e trocando o salto pelo chinelo,
sonhando a maior tolice do mundo
com o gozo de quem não liga pra isso.

Ao lado delas,
pode ser abril,
mas parece manhã de Natal,
do tempo em que a gente acordava
e encontrava o presente do Papai Noel.

Tem gente que tem cheiro
das estrelas que Deus acendeu no céu
e daquelas que conseguimos acender na Terra.

Ao lado delas,
a gente não acha que o amor é possível,
a gente tem certeza.

Ao lado delas,
a gente se sente visitando um lugar feito de alegria,
recebendo um buquê de carinhos,
abraçando um filhote de urso panda,
tocando com os olhos os olhos da paz.

Ao lado delas,
saboreamos a delícia do toque suave
que sua presença sopra no nosso coração.

Tem gente que tem cheiro
de cafuné sem pressa,
do brinquedo que a gente não largava,
do acalanto que o silêncio canta,
de passeio no jardim.

Ao lado delas,
a gente percebe que a sensualidade
é um perfume que vem de dentro
e que a atração que realmente nos move
não passa só pelo corpo.
Corre em outras veias.
Pulsa em outro lugar.

Ao lado delas,
a gente lembra que no instante em que rimos
Deus está conosco, juntinho, ao nosso lado.
E a gente ri grande que nem menino arteiro.

Tem gente como você,
que nem percebe como tem a alma perfumada
e que esse perfume é dom de Deus.

CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE




* A ideia de um deus é apenas aceita/respeitada pelo administrador desse blog como conceito poético. Não representamos qualquer tipo de fé!!!

sábado, 19 de outubro de 2013

04/10/2013




04/10/2013

Sabe,
Tudo fica diferente quando se percebe
Que o passado mais distante
Está apenas na poeira na estante
Ainda por espanar
E na roupa que ficou de molho...

A vida tornara-se mais leve
E só percebi quando olhei no espelho
E vi um sorriso leve, novo
Na verdade um velho sorriso
Que há muito não aparecia
Mas que era meu

É que a hora havia chegado
Hora de escrever novas histórias
De vestir uma roupa nova
E voltar a vivenciá-las...
Sem os velhos trapos
E sem as velhas pedras.

Todo o amanhã está logo ali
Mas não há pressa em chegar lá.
E hoje...
Bem, quanto à hoje
Status: Ocupado.
Reaprendendo ser feliz!


OZEAS RAMOS
BLOG DEVANEAR E DIVAGAR
www.rascunho1966.blogspot.com.br
COMENTE - COMPARTILHE

ALEGRIA E ILUSÃO



A vida é bem mais que certeza
Bem mais que razão
Uma ponta de alegria
Em um iceberg de ilusão!


OZEAS RAMOS
BLOG DEVANEAR E DIVAGAR
www.rascunho1966.blogspot.com.br
COMENTE - COMPARTILHE

SABEDORIA E LOUCURA



SABEDORIA E LOUCURA

Penso que sou apenas corpo
Não compreendo alma e espírito.
Mas em algum lugar em mim
Habitam a sabedoria e a loucura.
(Como duas “entidades”).
Eu que abrigo a ambas
E delas me utilizo sem pudor
Desconheço tal moradia ou esconderijo.
Sei apenas que elas são gêmeas
Pois sempre troco uma pela outra
Nunca as reconhecendo de antemão.
Ainda que, entendendo a loucura da sabedoria
Aprecio mesmo, e com paixão, a sabedoria da loucura!

OZEAS RAMOS
BLOG DEVANEAR E DIVAGAR
www.rascunho1966.blogspot.com.br
COMENTE - COMPARTILHE

TE QUERO BEM



TE QUERO BEM

Por que te quero
Muito
Bem
Te quero
Bem
Muito
Bem
Para ser meu bem


OZEAS RAMOS
ozeascbr@gmail.com
@ozeascbr

sexta-feira, 18 de outubro de 2013

NADA JUSTO



Enquanto o injusto estiver justo
Até parecerá justo ao Justo.
Mas quando o injusto tornar-se justo
O Injusto será ainda mais injusto.
Restando ao Justo o lamento
De ter sido injusto com o Injusto.

OZEAS RAMOS

quarta-feira, 16 de outubro de 2013

ABSOLUTEZES


  
ABSOLUTEZES

A vida segue inexorável.
Falo da percepção dos sentidos
Não do calendário, do contar dos anos...
O que outrora era dito
Agora é captado pelos ouvidos
Verdades.
Verdades.
Verdades.
Vernaculidades:
- Meu pai, você tá ficando velho!
- Ficando velho.
- Ficando broco.
- Ficando chato.
Alguns minutos depois...
E com a mesma singularidade:
- Pai, eu te amo!
Não são sofismas.
Absolutezes...

OZEAS RAMOS
Comente - Compartilhe

ozeascbr@gmail.com

terça-feira, 15 de outubro de 2013

ISSO É VIDA?



ISSO É VIDA?

Cada vida que nasce carrega consigo uma sombra
Cada vida que nasce pode gerar outras vidas
Cada sombra que nasce com uma vida gera outras sombras...
Ontem eu vi almas que carregam suas sombras
E vi como as sombras assombram as almas que carregam vidas
Vi algumas vidas que carregam muitas sombras
Dessas, muitas sombras carregam algumas vidas.
Poucas vidas assombram suas sombras
Poucas vidas carregam suas vidas e dissipam suas sombras.
Há quem queira a sombra
Há quem queira a vida
E assim é a vida:
A sombra assombra a vida
A vida dissipa a sombra
Mas no fim, a sombra dissipa a vida.
Isso é vida?



OZEAS RAMOS
BLOG DEVANEAR E DIVAGAR
www.rascunho1966.blogspot.com.br
COMENTE - COMPARTILHE

segunda-feira, 14 de outubro de 2013

sábado, 12 de outubro de 2013

A VINGANÇA DO SIVIRINO



A VINGANÇA DO SIVIRINO



Meu  Patrãozinho, doutô,
qué  sabê  se  eu  ja  quis  bem,
se  ja  gostei  darguem,
se  conheci  o  amor?

Vou  lhe  contá  a  verdade,
cum  toda  sinceridade!...
Quando ainda  moço  doutô,
Todo  bonito  e  pimpão,
e  das  caboclas  estimado;
em  toda  festa que  eu  ía,
brincava   me  adivertia,
deixando  o  amõr  de  lado...

Inté  juro  doutô,  discunjurava  o  amôr!
Porém  naquele  dia,
sempre  na  vida  um  porém...
Topei  Sinhá  Maria!
Cabocla  nova   sapeca,
que  foi cá sua  famia
na  festa  da  Muribeca...
Ela  mi oiô  de  lado,
e  eu mei discunfiado
senti  um  istremecimento...

Sim  sinhô!
Seria  aquilo, o  mardito  do  amô?
Quando  a  festança  acabou,
eu  dela  me  adispedi,
senti  nos  oio  um  queimô,
e  se chorei, nem  senti!

Vortei  pro  meu  ranchinho,
me  ispixei  na  véa  rede
e  fiquei falano  sozinho,
cunversando  cas  parede...
Má  raiô  a  madrugada
e  os  galo  anunciu
qui o  dia  tava rompeno;
eu  gritei  pra arvorada:
encontrei  o  tar  do  amô,
naquelis  zóis  doce  e  sereno!

Eu  juro pra  vosmicê,
desna daquele  dia,
nunca  mais  esbarrei  de sofrê...
Pra  essa  istoria  incurtá,
em  quinze  dia  noivemo,
e sem  nos  prepará,
em  quinze  dia cazemo!

Nos  principio, que  beleza!
Sinhá  Maria,  que  lindeza!
Era  tudo  no  ranchinho...
A  dispois  ficou  mudada,
passava  os  dia  infunada,
refungano os  meu  carinho...

Escuta,  meu  Patrão,
nóis  fumo  num  pagodão
no  arraiá  do  Orobó;
e  a  cabocla  mavada,
fugiu sem  dizer  nada
e  eu  vortei  pro  rancho  só...
Quando  abri  a  porta
do ranchinho  e eu oiei
ao  meu  redó,
eu vi  em cada  cantinho
a  minh  iprança  morta
e  dizandei  a  chorá..

Os  amigos  qui  mi  via
cumeçava aconceiá:
Procure aquela  marvada  Sivirino,
enche  ela  de  facada
e  corre  qui o  mundo  é  ôco...
Vosmicê né  mais  criança,
e  tem sangue  de  caboclo!
mais  eu  pensei  mió
pensei  de  outra  maneira
pruquê,  matá  é  bestera!

Eu  hoje,  tô  véio cansado
os  cabelo esbranquiçado
amostra  o  tempo  que  é...
Eu  juro pra  vosmicê,
dela  me  vinguei,
por  que  nunca  mais  gozei
os  beijo doutra  muié!

sexta-feira, 11 de outubro de 2013

SOL MULHER


SOL MULHER

Enfim, sua majestade: o sol!
Reapareceu luzidio imponente
E com ele, a luz que traz a vida
E a energia que produz calor.
É como percebo você
Meu Sol mulher
Quando surges e te vêem os meus olhos
E quando te aproximas.
Tens vida em teus lábios e sorriso
E calor em teu exuberante corpo.
Encontro a luz e energia que preciso
Em teu beijo e abraço!
Como é suave o teu amanhecer
E quão delicado teu fim de tarde...
E mesmo quando partes
Deixas infundidas
As marcas de tua luz.
Brilhe meu sol
Brilhes em mim!


OZEAS RAMOS

www.rascunho1966.blogspot.com.br
COMENTE - COMPARTILHE

GIBRAN GIBRAN

"Assim me tornei louco.
E encontrei tanto liberdade como segurança em minha loucura:
a liberdade da solidão e a segurança de não ser compreendido,
pois aquele que nos compreende escraviza alguma coisa em nós".

GIBRAN GIBRAN


quinta-feira, 10 de outubro de 2013

QUEM É VOCÊ MOÇA?


  
QUEM É VOCÊ MOÇA?

Quem é essa moça que me encanta
sem sequer ter olhado para mim?
Quem é essa moça que me fez sentir o sangue correr nas veias,
coração palpitar e bater mais forte?
Quem é essa moça de sorriso tímido, olhar doce e voz sedutora?
Quem é essa moça?
Me diz...
Quem é essa moça, linda moça,
que em sua simplicidade se mostra,
se revela, sem dizer nada?
Me diz quem você é?
Pois de você só pude intuir a alma.
Alma de uma mulher admirável, meiga, madura,
Sensual, bela, sapeca, sonhadora, forte, delicada, pura.
Nada sei de você moça linda...
A não ser o que diz meu coração.
Coração leviano, sonhador, que sem te conhecer,
Te descobre.
Descobrindo, te quer!
Me diz.
Me diz quem é você moça linda!!!

OZEAS RAMOS
Comente - Compartilhe

terça-feira, 8 de outubro de 2013

O APRENDIZ


O APRENDIZ


Caiu?
levanta!
Abra  os  braços ao  vento,
cumprimenta  o  sol;
e  grita:
Sou  eu!
Sou  eu!
Já  de  pé,
bata  no  peito,
olha  direito ao  teu  redor;
veja,  o  mundo  inteiro
se  enfeita
só  pra  te  olhar!
Sai,  vai,
dê  uma  volta,
te  ajeita,
repagina  o  teu  andar...
sobe  no  salto,
mira-te  no  espelho,
e  grita  mais  alto:
Sou  eu!
Sou  eu!

Sacode  a  poeira
e  sem  eira,  nem  beira,
grita,
Sou  eu!
Sou  eu!
Levantou?
Tá  de  pé,
então  anda...
e  veja  no  caminho
aquilo  que  plantou...
e  o  que  fez  acontecer..
Continue  sem  pressa,
marque  o  seu  espaço,
e   sem  perder  o  compasso,
cadenciando  seu  passo,
sacudindo  a  poeira,
pára  e  diz:
Sou  eu
Sou  eu,
um  eterno  aprendiz.


Do Baú da Pirata
(autora prefere o anonimato).

segunda-feira, 7 de outubro de 2013

MERDA-MORTAL




MERDA-MORTAL

Não carrego a bondade dos que vão para seus céus, nem sou a essência da maldade que me imputam. Sou simplesmente o que sou, ou como bem disse minha bisa: “filho da puta, feio e pobre”.
Cometi sim inúmeros e enormes erros. Embora nem todos que desejei. Também não cometi todos de que sou acusado. De certo que guardei alguns para a idade tardia, se é que alcançarei façanha desditosa.

Não tente avaliar-me, isso seria exercício ilegal da profissão, tampouco pense que será tarefa fácil decifrar-me. Assim vou avisando: bipolar é a pxxx xxx xx xxxxx e tripolar é seu progenitor, se é que você o conheceu mesmo... Mas sei que eu sou a contradição personificada, embora não seja ambíguo. Se eu amo, odeio de vez em quando. Mas se odeio, odeio para sempre.
Sempre acreditei que nasci antes do tempo, pelo menos uns cinquenta anos. Embora isso não me aflija. Foda mesmo é QUE partirei igualmente antes do tempo. Porra, não pedi para vir, mas porque partir?

Eu penso:
- o universo - dez bilhões de anos
- a terra - quatro milhões de anos
- e eu, um merda-mortal vulgarmente chamado humano, menos de duzentos anos. Isso mesmo. Queria viver uns duzentos anos pelo menos. Mas não vai dar... nem poderei dizer como o exterminador do futuro: “I'll be back”.

Sabe uma grande lição disso tudo, em uma única palavra sintetizada: PORRANENHUMA (aqui em licença poética tornou-se uma palavra). Deixarei para tirar grandes e valiosas lições após passar dos oitenta anos. Antes estarei ocupado acrescentado mais erros e desatinos, enquanto, por acidente e muito de vez em quando, alguns acertos.

Sábado sem dindin e sem MIG... dá nisso!!!

OZEAS RAMOS
@ozeascbr
ozeascbr@gmail.com

domingo, 6 de outubro de 2013

EM VÃO



EM VÃO

Encontrei-me displicente
Imóvel
Inerte
Esperança quase morta
Passavam as horas
Corriam os dias...
Vida que ia e vinha
Em movimento intenso.
Bulícios tolos
Desconexos.
Atônito
Vida estranha
Vida fútil
Inútil
Não era a minha
Encontros e desencontros.
Baldado
Procurava.
Desconhecia todos os rostos
Na estação Ilusão
Eu esperei por você
Em vão.


OZEAS RAMOS
Comente - Compartilhe


sábado, 5 de outubro de 2013

EU E VOCÊ



EU E VOCÊ

Quando te amar
Eu vou até o fim
Ao fim de mim
Vou logo ali
Você aqui
Você em mim.

Quando te amar
Eu vou me perder
Vou te encontrar
Depois do fim
Você aqui
Você em mim.

Quando você me amar
Não vai ter fim
Vai ser assim
Eu em você
Você aqui
Você em mim.

OZEAS RAMOS

EM TEMPO



Tentei dizer-te até ontem.
O que farei agora:
O quanto hoje você é especial.
Mas somente até amanhã...
Enquanto para sempre não chegar!


OZEAS RAMOS

sexta-feira, 4 de outubro de 2013

EXORCISMUS



Escrever é minha terapia.
É quando transformo pensamentos
E os materializo em rascunhos tolos
Ao mesmo tempo em que me livro deles!
Não escrevo para ser entendido
Nem para ser lido
Tampouco para proferir verdade inconteste
Não busco a beleza
A singularidade.
Escrever é meu exorcismus!
O mais próximo da liberdade...


OZEAS RAMOS


 "E que fique muito mal explicado.
Não faço força para ser entendido.
Quem faz sentido é soldado."

MÁRIO QUINTANA

quinta-feira, 3 de outubro de 2013

ENCANTAMENTO

Uma onça esteve aqui?
Eu não sei...
Há quem diga que ela é onça
Onça bicho brabo
Sobre essa, puro engano.
Essa onça é humana
Gente boa, gente do bem.
Meu bem
Que eu quero bem
Muito bem.
Ela não tem garras
Nem tem presas afiadas.
Logo, onça que não pega
Não mata e não come
Não é onça
É encantamento!


OZEAS RAMOS

AGUARDO SUA OPINIÃO


quarta-feira, 2 de outubro de 2013

CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE - CASA ARRUMADA



CASA ARRUMADA


Casa arrumada é assim: Um lugar organizado, limpo, com espaço livre pra circulação e uma boa entrada de luz.

Mas casa, pra mim, tem que ser casa e não centro cirúrgico, um cenário de novela. Tem gente que gasta muito ...tempo limpando, esterilizando, ajeitando os móveis, afofando as almofadas... Não, eu prefiro viver numa casa onde eu bato o olho e percebo logo: Aqui tem vida...

Casa com vida, pra mim, é aquela em que os livros saem das prateleiras e os enfeites brincam de trocar de lugar. Casa com vida tem fogão gasto pelo uso, pelo abuso das refeições fartas, que chamam todo mundo pra mesa da cozinha. Sofá sem mancha? Tapete sem fio puxado? Mesa sem marca de copo? Tá na cara que é casa sem festa. E se o piso não tem arranhão, é porque ali ninguém dança.

Casa com vida, pra mim, tem banheiro com vapor perfumado no meio da tarde. Tem gaveta de entulho, daquelas que a gente guarda barbante, passaporte e vela de aniversário, tudo junto...

Casa com vida é aquela em que a gente entra e se sente bem-vinda. A que está sempre pronta pros amigos, filhos... Netos, pros vizinhos... E nos quartos, se possível, tem lençóis revirados por gente que brinca ou namora a qualquer hora do dia.

Arrume a casa todos os dias... Mas arrume de um jeito que lhe sobre tempo para viver nela... E reconhecer nela o seu lugar.

CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE

terça-feira, 1 de outubro de 2013

SAUDADE DE MIM


Ozeas Ramos

Eu estava com saudades
Saudades de alguém que conhecia
Conhecia porque dele era próximo
Próximo e comigo compartilhava sonhos
Sonhos que ficaram para trás
Para trás quando dele se perderam
Perderam-se desde ele mesmo se perdeu
Se perdeu ao conhecer a loucura
Loucura de amar o inferno
Inferno que não lhe traz saudades.
Eu estava com saudades de mim.


OZEAS RAMOS
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...